Caminhão Munck

Caminhão Munck

A NILTON MACHADO LOCAÇÕES dispõe de diversos modelos de caminhão munck, com capacidades diferentes, atendendo desde empresas que precisam de deslocamento de carga pouco pesada, até as que necessitam de movimentação de grande capacidade para atuar em montagem industrial, construção civil e transbordo.

Locação de Caminhões Munck em Araúna (Guapé)

Os primeiros habitantes da região onde hoje se encontra instalado o município de Guapé, foram os indígenas da nação Cataguá.Diogo de Vasconcelos, em sua história antiga de Minas Gerais, conta-nos que os Teremembé deslocaram-se do Jaguaribe e dividiram em duas cordas: uma que subiu o São Francisco até as nascentes (Piumhi) e outra que desceu o Paraíba até a sua foz.Encontraram-se ambas, desirmanadas, no vale do Rio Grande ou Paraná. Travada a luta pela posse do rio, esta veio a decidir-se na foz do Sapucaí. Os vencidos transpuseram a Mantiqueira e instalaram-se no chã do Paraíba, cerca de Taubaté, e os vencedores ficaram na terra conquistada, onde se estenderam até o Rio das Mortes com o nome enfático de Catoé-aná, que significava gente boa (posteriormente Cataguá). A nação dos Cataguá, por tradição guerreira e indomável, foi por longos anos senhora da região. Os bandeirantes, evitaram os choques armados e, muito embora houvessem tentado em inúmeras oportunidades, não conseguiram civilizar os destemidos indígenas. Coube a Lourenço Castanho, fidalgo europeu, a iniciativa de dominá-los, afastando dessa forma o embaraço que " persuadia aos outros o itinerário do Paraná". Já tendo a sua disposição o caminho até Ibiturama, dobrou a Mantiqueira e bateu-se em conquista, vencendo-os e invadindo todo o distrito até o Araxá, por onde foi ter a serra, além do Paracatu, cujo arraial iniciou.Por promessa de Esméria Angélica da Pureza, esposa de José Bernardes Ferreira Lara, grande proprietário local, em 1839, foi doado a São Francisco de Assis um patrimônio em terras, para sua capela. Imitaram também este gesto Felisberto Martins Arruda e Cândida Soares do Rosário. Dessas doações nasceu o arraial que mais tarde, em 1856, passou a distrito, com a designação de São Francisco Rio Grande, e, em 1920, aparecia como distrito componente do município de Dores da Boa Esperança.Pela lei estadual 843, de 7 de setembro de 1923, foi elevado a categoria de município com o nome de Guapé. É sede de comarca de 2ª Entrância desde 1º de julho de 1954.O nome Guapé originou-se de uma planta da região chamada "Guay" e que viceja nos lagos formados, em conjunto, verdadeiros caminhos sobre a água. Guaypé significava "caminho n'água, que por corrutela, passou a "Aguapé" e, posteriormente, Guapé.Gentílico: Guapeense.Formação Administrativa:O distrito foi criado pela lei provincial nº 774, de 29 de maio de 1856 e pela lei estadual nº 02, de 14 de setembro de 1891, configurando sobre a denominação de São Francisco do Rio Grande, na "divisão administrativa em 1911" e nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1º-IX-1920, como componente do município de Dores da Boa Esperança.A lei estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, desmembrou do município de Dores da Boa Esperança, tornando-o, sob a denominação de Guapé, sede do município deste nome, criado pela referida lei, o qual se constituiu de 3 distritos: Guapé ( ex São Francisco do Rio Grande), Araúna ( ex Araújos) e Capitólio (ex São Sebastião dos Franciscos), os dois últimos, desanexados do município de Piumhi.O município de Guapé foi instalado em 03 de fevereiro de 1924, sendo sua sede elevada à categoria de cidade, em virtude da lei estadual nº 893, de 10 de setembro de 1925.No quadro da divisão administrativa do Brasil, relativo ao ano de 1933, e publicado no boletim do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, o município que se trata continua formado pelos distritos de Guapé, Araúna, Capitólio, o mesmo se observando nos quadros territoriais datados de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, no quadro anexo ao decreto lei estadual nº 88, de 30 de março de 1938, bem como na divisão territorial judiciário-administrativa do estado, fixada pelo decreto lei estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938, para vigorar no quinquênio 1939-1943.Por força do decreto lei estadual nº 1058, de 31 de dezembro de 1943, o município de Guapé perdeu o município de Capitólio que retornou ao município de Piumhi. Assim, na divisão territorial vigente no quinquênio 1944-1948, estabelecida pelo précitado decreto lei, apenas dois distritos integram o referido município: Guapé e Araúna.